Quem Somos

Chamados a Gerar Vida

A Comunidade Missão Maria de Nazaré é a mantenedora do Colégio Magnificat. A comunidade católica nasceu no Grupo de Jovens Maria de Nazaré, na paróquia de Santo Antônio, em Divinópolis.

Em dezembro de 2003 Eduardo Rivelly e Carla Fonseca, ainda namorados, foram eleitos coordenadores do Grupo de Jovens.

No início de 2004 propuseram um retiro espiritual com todos os jovens que compunham o grupo de perseverança do grupo de jovens. Esse retiro ocorreu no Centro de Artes e Ofícios, em Divinópolis, no qual foram abordados vários temas: vocação, carisma, missão, entre outros. Essa proposta aconteceu, pois Eduardo já, há muito tempo, sentia que Deus tinha algo além do grupo para eles.

Muitos desses jovens sentiam, assim como os coordenadores, esse chamado a algo mais. Ao final desse retiro, alguns deles começaram o primeiro caminho vocacional para a Comunidade Missão Maria de Nazaré. No decorrer de um ano, foram feitas propostas e reflexões sobre vida comunitária e missionária.

Um Carisma autêntico de Gerar e Formar

O carisma se manifesta como na palavra de Jesus a Nicodemos em Jo 3, 3-8. Através de um novo derramamento do Espírito Santo, as pessoas precisam nascer de novo para uma vida nova e a Comunidade Católica Missão Maria de Nazaré é um grande útero ungido pelo Espírito Santo para gerar os filhos de Deus para uma vida nova.

 

A Palavra do Carisma é confirmada em Ezequiel 37, 1-15. Não podemos só gerar, pois uma mãe não só gera, mas também ama, forma, educa, trata, acolhe, ampara, mostra caminhos a percorrer, entre tantas outras atribuições a ela dedicadas.

Por esse motivo, os membros da MMN deverão, em todos os seus atos, expressar o carisma de mãe, com todas as pessoas que passarem por seu caminho.

 

Educar pelo exemplo

O carisma se expressou também de forma radicalmente pessoal, numa busca constante de santidade, pois a melhor forma de educar é o exemplo. Portanto é necessário ser como modelos de uma nova geração que também bebeu do fruto do carisma e que nasceu para uma vida nova e, a partir daí, não vive mais o homem velho.

O carisma deve ser alimentado primeiramente entre os membros, que na vida fraterna o exercitarão a ponto de transbordarem os limites de nossa comunidade e assim atingirem as pessoas que estiverem pelo caminho.

Nossos trabalhos devem ser feitos sempre espelhados no carisma. Assim, tudo quanto realizarmos façamos como mãe, que primeiro pensa nos filhos e depois em si mesma.

Devemos enxergar as pessoas que Deus nos confia com um olhar materno. Somos geradores da vida, isso implica ser vida para todos que não a têm e também ser família para os carentes, acolhida para os desamparados, alegria para os tristes, força para os fracos, exemplo para os perdidos, apoio para os machucados, olhar para os cegos e perdidos, abraço para os filhos, cuidado para os que sofrem, verdade para os enganados e tudo mais que uma mãe precisa ser para seu filho. Contudo acreditamos que este carisma é Graça de Deus em nós, portanto o que nos cabe é responder como Maria: “Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim conforme a sua Vontade.”

A Importância da Educação Católica

Por meio desse novo chamado que se expressa através da manutenção do Colégio Magnificat, entendemos a importância da educação verdadeiramente católica na construção de um mundo novo.

A educação é, sem dúvida, uma das principais atividades humanas. Ela forma o ser humano em tudo e dá sentido à sua existência. É por meio do exercício do ensino e da aprendizagem que o homem e a mulher são capazes de desenvolver suas tarefas, descobrir coisas novas, conhecerem a si mesmos e ao mundo ao seu redor. Mas a educação pode e deve também formar o ser humano para a experiência das coisas espirituais e metafísicas, como, por exemplo, o conhecimento de Deus. Para a Educação Católica, a finalidade da educação passa justamente por essa realidade, pois sendo Deus autor e princípio de tudo, Ele é também o fim de tudo.

A missão de educar

A tarefa de ensinar cabe em primeiro lugar à família e à Igreja, porém a escola também ocupa um papel muito importante na educação e de modo especial na Educação Católica. Assim diz a Sagrada Congregação para a Educação Católica (1977): “A Igreja está plenamente convencida de que a Escola Católica, ao oferecer o seu projeto educativo aos homens do nosso tempo, atua com uma função eclesial, insubstituível e urgente. Na Escola Católica, com efeito, a Igreja participa no diálogo cultural com uma sua contribuição original e propulsora do verdadeiro progresso na formação integral do homem. A ausência da Escola Católica constituiria uma perda imensa para a civilização, para o homem e para os seus destinos naturais e sobrenaturais”.

A Escola Católica visa, portanto, formar o homem inteiro, ou seja, todo o seu ser. Para compreender, porém, como deve ser em nós essa formação integral é preciso olhar para a pessoa de Jesus, pois é imitando sua vida que seremos Cristãos autênticos.

Uma educação integral

No Evangelho de Lucas encontramos esta definição de integralidade: “E Jesus crescia em estatura, em sabedoria e graça, diante de Deus e dos homens” (Lc 2, 52) ¹. Desse modo, se queremos imitar a Jesus, é preciso seguirmos os seus passos. Para entender melhor esta formação integral, a partir do modelo de Cristo, é preciso aprofundar nesses três aspectos, que de algum modo, abrangem todo o nosso ser.

Esses pontos, portanto, nos fazem não apenas imitar a Cristo, que como afirma no Evangelho, assim crescia e se desenvolvia em Nazaré, mas também a alcançarmos as três qualidades superiores, chamadas transcendentais, por serem plenamente encontradas em Deus. São elas: o Bom, O Verdadeiro e o Belo.

A Igreja nos ensina que “Deus criou o mundo para manifestar e para comunicar sua glória. Que suas criaturas participem de sua verdade, de sua bondade e de sua beleza é a glória para a qual Deus as criou” (CIC § 319) 4.

Desse modo podemos dizer que a Educação Católica precisa ter como finalidade o conhecimento e a busca destas três realidades, para vivermos na plenitude da vontade de Deus.
Associar essas três características do Divino nas três dimensões citadas não é tarefa impossível, pois Deus nos fez para sermos semelhantes a Ele. Nesse sentido, crescer em Estatura significa buscar ser Bom como Deus é bom; crescer em Sabedoria implica buscar a Verdade no qual Deus se encontra; e por fim crescer em Graça é desfrutar do Belo de Deus, não apenas no que ele faz, mas principalmente em quem Ele é.

Todos querem ser felizes, mas poucos têm clareza deste caminho para a felicidade – um caminho que perpassa o sentido de nossa existência: “conhecer e amar a Deus” (cf. CIC § 1).

Só seremos felizes se amarmos a Deus e só o conseguiremos amar de verdade se o conhecermos. É por esse motivo que Jesus dá uma ordem aos seus discípulos no momento de sua subida para o céu: “Ide, pois, e ensinai a todas as nações (…) Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi” (Cf. Mt 28, 19-20).

A verdadeira educação deve, portanto, ter em vista a finalidade última do ser humano e sua realização enquanto pessoa, que passa pelo conhecimento de Deus. Experimentá-Lo por meio dos ensinamentos de Jesus e de sua Igreja é a maneira mais eficaz de encontrarmos o sentido de nossa vida e, portanto, a felicidade, que embora comece aqui nesta vida, só será plena na Vida Eterna.